Negócio Perto

Negócio Perto

16286 | 3

Divulgue Grátis o Seu Negócio!


Facebook


O que é a consciência empreendedora?

390 visualizações Editar a postagem | Excluir postagem

O que é  a consciência empreendedora?

Possuir Consciência Empreendedora representa conhecer com amplitude e profundidade o que significa o ato de Empreender.

Este conhecimento se resume apropriadamente na seguinte afirmação: “Empreender é uma forma de vida”. O empreendimento não é apenas um ofício e nem o ato de estabelecer e administrar um negócio, é uma forma de ver o mundo e entender a vida.

O desenvolvimento da Consciência Empreendedora não tem nada a ver com as habilidades e aptidões que uma pessoa tem para empreender, tampouco com o desejo, a disposição e a vontade que se coloque nesta tarefa, a Consciência Empreendedora orienta e condiciona o indivíduo em todos os atos de sua vida.

Da mesma forma, não é a falta de habilidades ou de conhecimento o que provoca o fracasso de muitos empreendimentos, ele acontece porque o Empreendedor não entende que esta é uma forma de viver.

O Empreendimento abarca todas as áreas da vida de uma pessoa, não apenas sua dimensão profissional. Não é um trabalho que exerce apenas em “horários comerciais”. Toda a vida familiar, relação a dois, formação dos filhos, construção de amizades, idade avançada, maturidade e velhice se incluem ou gravitam em torno do ato de Empreender.

A Consciência Empreendedora compreende isto

Por toda a vida se é Empreendedor! O seu trabalho não se limita à vida do negócio que criou, pois, é um fato que, em sua vida, haverá mais tentado do que realmente ter obtido sucesso. Classificar um Empreendedor apenas de acordo com o Negócio ou projeto é o mesmo que resumir a vida de um arquiteto em apenas um edifício que leve sua assinatura.

A tarefa do Empreendedor não se resume em obter êxito em tudo aquilo que faz justamente porque ele é o produto de uma grande experiência de fracassos. Os sucessos são pontos em uma grande linha contínua de reveses, derrotas e frustrações.

O Empreendedor possui Responsabilidade que nenhuma profissão possui: a de constituir elemento fundamental da dinâmica econômica que sustenta as sociedades.

Sem empreendimentos os povos carecem de suportes produtivos para sobreviver, interagir e crescer. Todas as grandes organizações empresariais e as instituições têm suas gêneses em um empreendimento, e se mantêm-se vivas graças a esforços criativos e inovações que são partes do espírito empreendedor.

O desenvolvimento dos povos, nações e da própria civilização depende dos empreendimentos feitos. A invenção da roda tomou forma em uma mente empreendedora, tal como a viagem do homem à lua. A definição mais justa do que significa empreender diz que ela é uma “capacidade e atitude de perceber, criar e agir”. Perceber aquilo que não é evidente para todos, criar e agir para que seja uma realidade sustentável. Tudo isto não apenas é essencial para o desenvolvimento integral do homem como também é algo que não pode ser feito por qualquer um.

O Empreendedor é um líder porque, de fato, não pode ser outra coisa quem toma a iniciativa, organiza e dirige a outros para a criação daquilo que está em sua imaginação. Não necessariamente é um líder porque os demais assim o reconhecem ou porque comanda um processo. Certo também é que a liderança demanda responsabilidade e critério como poucas coisas.

O Empreendedor deve conhecer profundamente a natureza e estrutura dos problemas. Eles são companheiros que não faltam nunca na viagem. Resolvê-los e superá-los é a única coisa que garante o alcance dos objetivos. O empreendimento é uma corrida que leva de um ponto a outro, mas o sucesso do trajeto não está em conhecer a rota, mas sim em identificar e superar os obstáculos. Transitar neste caminho exige conhecimento, mas superar barreiras frequentemente demanda caráter. Poucas pessoas têm capacidade de conviver com os problemas, e o Empreendedor deve ser um deles, pois é necessário que conheça sua dinâmica, assim pode abordar qualquer problema com vantagem.

Apesar dos problemas, ou possivelmente por causa deles e da necessidade de liderar, empreender é um dos ofícios mais solitários que existe. Claro que há apoio, mas é ele geralmente vem de onde há “suporte”, e não necessariamente de onde há a “sustentação”. Quer dizer, o risco final é todo do Empreendedor e essa é a natureza do jogo. E isso provoca uma solidão que dilacera a alma e a ela ainda se soma incompreensão e adversidade por parte de outras pessoas. Se o Empreendedor vence, vencem todos, mas se perde, somente ele perde.

O Empreendedor, como efeito do trabalho, nutre o desejo de realizar sonhos e enfrenta a animosidade de todos os inimigos do espírito livre. Empreender é uma manifestação de liberdade e individualidade, o que nem todos compreendem.

As sociedades estão repletas de critérios de segurança, igualdade e equidade que condicionam os atos coletivos e, para a maioria das pessoas, o livre espírito é, na melhor das hipóteses, suspeito. Poucos assumem (pois entender, de fato entendem) que a liberdade do espírito empreendedor é precisamente a fórmula que garante a obtenção de sociedades mais seguras e com maior equidade, pois são os empreendimentos que alavancam o crescimento das economias e ampliam o “teto” que resguarda as pessoas.

Não são poucos os “inimigos” do Empreendedor, eles somam exatamente o número de todos aqueles que temem a liberdade.

Empreender não é apenas um trabalho, nada mais longe da realidade. Não é uma garantia para a liberdade financeira ou mesmo passagem certa para a riqueza. Alguns dos maiores empreendedores da história terminaram suas vidas na pobreza, mas mudaram o mundo.

Empreender não tem relação com carros de luxo e relógios caríssimos, muito menos com essas fotos de redes sociais que mostram “homens de sucesso” rodeados de lindas mulheres em paisagens gloriosas. O Empreendedor é o arquiteto do desenvolvimento humano. Sem empreendedores a humanidade continuaria vivendo em cavernas, e isto é algo de tal dimensão e transcendência que não pode resumir-se entre bens suntuosos e fotos sugestivas.

É claro que o dinheiro e a riqueza são uma grata consequência de um longo é árduo trabalho, mas esse não é o objetivo da Consciência Empreendedora, mas sim, o resultado.

Se há algo que move o Empreendedor, se há algum objetivo maior, este tem que ser, com certeza, a grandeza, a necessidade de transcender este pequeno espaço de tempo que a vida nos dá, o desejo de se distanciar dos que muito tomam e pouco dão, dos que menos investem e mais querem, dos que procuram uma segurança construída por outros que arriscaram tudo.

Autor: Javier Diaz
Fonte: http://www.negociosyemprendimiento.org/2018/01/conciencia-emprendedora.html

0 Comentários | Publicado em: 26 de Janeiro de 2018 às 14:30


Ainda não possui cadastro? Cadastre-se
Você já fez o cadastro? Logue-se

Nenhum comentário